Coroné vírus – a ignorância que amplia o medo

O Corona vírus certamente é uma das palavras mais ouvidas, faladas, lidas e comentadas do primeiro semestre de 2020. Contudo, apesar da grande quantidade de informações sobre os cuidados para diminuir o poder da doença provocada pelo vírus, o pânico criado pelos mais apressados acaba disseminando notícias falsas que surgem por todos os lados. Assim, esquecem de fazer uso do bom senso e deixam de compartilhar o que realmente é válido.

A pressa e a falta de análise sobre a veracidade das informações fazem com que pessoas ansiosas acabem espalhando notícias falsas ou alimentando um grande “telefone sem fio virtual” que salta de uma rede social para outra e chega a ser tão mutável quanto o próprio vírus. No facebook nasce um simples mosquito de asas amarelas que chega ao Instagram ou WhatsApp evoluído para uma besta apocalíptica capaz de ler mentes e implantar esterco na mente de cidadãos aloprados.

O fato é que o Covid-19 é realmente um caso preocupante e pode trazer sérios prejuízos ao bem estar social de modo geral. A isso carece uma pausa antes de qualquer ação para refletir sobre o que realmente deve ser compartilhado, de que forma pode ser comentado e se as fontes das informações obtidas são seguras o suficiente para que sejam repassadas.

A ignorância mata mais que o novo astro viral, e faz surgir em meio a “massa eletrônica”, agentes contaminados por uma doença virtual: o “Coroné Vírus”.  Com alto teor de puro achismo, leituras genéricas, interpretações baseadas em imagens e links duvidosos, muitas pessoas acabam atropelando a essência da informação, jogando álcool na fogueira do medo – o que mantém suas chamas acesas é nada mais que a ansiedade travestida em desespero que traduz num espirro, todos os sintomas da doença ou, de um viajante recém-chegado de qualquer lugar, um contaminado carimbado pelo número da besta.

A situação é de extrema cautela, mas não de rotulações, apontamentos e julgamentos que podem prejudicar várias pessoas por conta de um boato. Portanto, apesar de estarmos diante de um período delicado. Todas as medidas a serem tomadas devem concentrar-se em diminuir o alcance geográfico do vírus, e assim, evitar que tenhamos um quadro parecido com o que ocorre entre os italianos.

Como tudo na vida também tem um lado bom – vejamos também por esse lado… Algumas pessoas voltaram a aprender a importância de se higienizar. E isso inclui lavar as mãos, tomar banho, escovar os dentes e até aparar os pelos. As pessoas também estão aprendendo a cuidar melhor da alimentação; estão aprendendo a ser mais conscientes, importando-se mais com os outros; estão aprendendo que “o que faz mal aos demais atinge os de menos” e, o mais importante disso tudo é que aprendam que uma mentira repetida várias vezes vira uma falsa verdade que pode em algum momento carimbar uma lembrança dolorida pelo resto de suas vidas.

O corona vírus está nos fazendo aprender a valorizar a ciência, os estudos, o conhecimento, a higienização, a importância do trabalho coletivo e comunitário. Está mostrando que não existe isso de classes distintas ou doença de rico e de pobre. Somos todos uma só espécie e com as mesmas vulnerabilidades. Se estamos vivos nesse mundo de ataques e contra-ataques invisíveis é porque soubemos agir de forma coletiva e não é agora que vamos agir de maneira contrária não é mesmo?

Portanto, façamos nossa parte espalhando a verdade, combatendo a mentira, protegendo e cuidando uns dos outros. Se todas as partes que formam esse todo fizerem a sua parte, aqui no Brasil a história da passagem desse vírus não será tão desastrosa o quanto se imagina. Vamos minimizar o medo e combater o corona, deixando de lado o ignorante coroné da negligência e da desinformação.

SOBRE O AUTOR

Publicitário, interessado em arte e amante da natureza; pesquisador da história buiquense e curioso. Autor do site https://oqqbuiquetem.com.br

POSTS SUGERIDOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO