Menina e Mulher

Um dia fosse menina…
Cheia de graça, cheia de vida.
Embelezando vestidos floridos;
Sorriso inocente, olhar tão bonito.

Viesse como botão de rosas,
Desabrochas-te como a aurora.
Crescendo ao sol, vestindo-se de lua.
E assim, tuas linhas retas ganharam curvas.

Viera a malícia, murchando a inocência.
Vestisse o mistério, virasse ciência
Que homem nenhum, por mais que quisesse
Pudera ofertar o mais que mereces.

Viemos ao mundo, por pura magia.
Foi a biologia que deu tal missão.
És tu formosura, franqueza, justiça,
Amor e perdão, razão que enfeitiça.

Em tudo tu estás, és continuação.
Teu dia é o agora, porque a toda hora
Tu és quem tu é, num só coração.
Mamãe, moleca sapeca, menina e mulher.

Autor: Paulo César Barmonte.

SOBRE O AUTOR

Publicitário, interessado em arte e amante da natureza; pesquisador da história buiquense e curioso. Autor do site https://oqqbuiquetem.com.br

POSTS SUGERIDOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO