O quilombo da Torrada

Nas terras da Serra Torrada, um quilombo de raiz,
O samba de coco ecoa, trazendo encanto e matriz.
Com pisadas fortes, a dança se revela,
E o pandeiro embala a cadência singela.

As mulheres dão-se as mãos, num gesto de união,
Braços entrelaçados, em perfeita comunhão.
Pés nus contra o chão, a poeira se levanta,
E a ancestralidade preservada se encanta.

O samba de coco é celebração e resistência,
Um legado ancestral encarnado em pura essência.
De versos orais, que se perpetuam no tempo,
Animam-se corações com o sons lançados ao vento.

A matriarca guardiã é lembrança que inspira,
Com o sorriso acolhedor, que tudo ensina.
As dançarinas seguem o compasso com fervor,
Honrando seus antepassados, com muito amor.

A Serra da Torrada é testemunha desse encanto,
Das pisadas firmes, do samba por todo canto.
Entre ritmo e sorrisos, alegria em cada passo,
E o quilombo da Torrada se basta num abraço.

E assim, no cenário mágico da mãe natureza,
O samba de coco une em festejos e grandeza.
Os laços se fortalecem, as raízes se expandem,
A cultura se eterniza em seu legado vagante.

Que o quilombo da Torrada se mantenha no caminho,
Levando o samba de coco além de horizontes vizinhos.
Que a mazuca, pisada forte, ecoe pelo ar,
Enaltecendo a ancestralidade que sempre há de perdurar.

Serra da Torrada, berço do samba de coco,
Em sua magia, encontramos um tesouro pouco.
Um cenário de amor, resistência e alegria,
Onde a dança se faz poesia, todos os dias.

Compartilhe:
Traduzir »